Descrição do Risco


Nos materiais potencialmente perigosos para o Homem incluem-se os gases, habitualmente utilizados para uso doméstico e/ou industrial. Ao nível territorial, existem actualmente redes de distribuição de gás, através de condutas subterrâneas, que transportam este recurso energético até às populações.

Nas áreas em análise, sendo impossível definir a imprevisibilidade de ocorrências de acidentes nesses equipamentos (que podem depender do estado de conservação ou de factores humanos) tem-se em consideração a localização dos pontos de armazenamento e passagem de gases, o que constitui de algum modo uma susceptibilidade à ocorrência de acidentes. Por outro lado, consideram-se factores como a maior concentração populacional e a maior proximidade aos equipamentos industrias como variáveis para a definição de maior vulnerabilidade a acidentes com gás.

Carta de Risco

CARTA DE PERIGOSIDADE

CARTA DE VULNERABILIDADE

Metodologia e variáveis utilizadas


A metodologia utilizada para a elaboração da cartografia compreende vários níveis de informação, relacionados com elementos condicionantes de acidentes com gás para a determinação da Perigosidade e com elementos culturais e naturais com susceptibilidade a esses danos, para a determinação da Vulnerabilidade (Figura 27).

METODOLOGIA PARA A CARTA DE PERIGOSIDADE


Para a definição da Perigosidade consideram-se as seguintes variáveis:

Rede de gás – variável que considera a localização da rede de gás e a sua área de influência, em caso de acidente. Elaborada com base na informação cartográfica na escala 1/10.000, fornecida pelos municípios;

Edificado – indicador dos edifícios nos concelhos. Aos edifícios de habitação e serviços foi atribuída pontuação máxima e aos edifícios industriais uma pontuação menor, devido à vulnerabilidade humana ser ou poder ser aí mais reduzida.

METODOLOGIA PARA A CARTA DE VULNERABILIDADE


Para a definição da Vulnerabilidade consideram-se as seguintes variáveis:

Aglomerados populacionais – é o indicador da maior vulnerabilidade humana a acidentes com gás. Para tal utilizaram-se as áreas sociais existentes na carta de ocupação do solo estabelecendo ponderações diferentes consoante a densidade populacional. Para este caso, às principais cidades atribui-se a ponderação mais elevada;

Proximidade às áreas industriais – definição das áreas industriais e a sua área de influência, em caso de acidente. Elaborada com base na informação cartográfica na escala 1/10.000, fornecida pelos municípios;

Proximidade aos meios de combate – indicador obtido considerando a circulação dos meios de combate nas rodovias. Para tal, calcularam-se velocidades máximas por tipo de via rodoviária, tempo de viragens à esquerda e à direita e os sentidos de circulação.

INTERPRETAÇÂO DOS RESULTADOS

 

CONCELHO DE MIRANDELA


No concelho de Mirandela a perigosidade de acidentes com gás centra-se quase exclusivamente na cidade de Mirandela, onde é moderada e mesmo elevada, principalmente devido à existência da rede de gás urbana e à distância à mesma. Na restante área do concelho a perigosidade é nula, excepto nas áreas de edificado, onde é reduzida.

Quanto à vulnerabilidade, esta pode ser reduzida, moderada, elevada e muito elevada. Nesta análise, tem particular importância a variável “Proximidade aos Meios de Combate”, que define o aumento da vulnerabilidade à medida que nos afastamos da cidade de Mirandela e da vila de Torre Dona Chama. Assim, a vulnerabilidade é elevada nalguns sectores da periferia do concelho. Por outro lado, a proximidade às áreas industriais e o facto de ser um centro urbano importante, em Mirandela a vulnerabilidade também se apresenta elevada e mesmo muito elevada. O mesmo acontece noutras povoações do concelho onde existem indústrias, como é o caso de Torre Dona Chama.

Assim sendo, o risco de acidentes com gás no concelho de Mirandela é maioritariamente reduzido, sendo moderado na cidade de Mirandela e restantes aglomerados populacionais. O risco elevado ocorre exclusivamente em alguns sectores da cidade.

CONCELHO DE MACEDO DE CAVALEIROS


No concelho de Macedo de Cavaleiros a perigosidade de acidentes ocorre na cidade de Macedo de Cavaleiros e no sector industrial Amendoeira/ Sezulfe, onde é moderada e também elevada em pequenos sectores, principalmente devido à existência da rede de gás e à distância à mesma. Na restante área do concelho a perigosidade é nula, excepto nas áreas de edificado, onde é reduzida.

Quanto à vulnerabilidade, esta pode ser reduzida, moderada, elevada e muito elevada. Nesta análise, tem particular importância a variável “Proximidade aos Meios de Combate”, que define o aumento da vulnerabilidade à medida que nos afastamos da cidade de Macedo de Cavaleiros. Assim, a vulnerabilidade é elevada nalguns sectores da parte sudeste do concelho e também na parte sul (sector de Talhas e Lagoa). Por outro lado, a proximidade às áreas industriais e o facto de ser um centro urbano importante, em Macedo de Cavaleiros a vulnerabilidade também se apresenta elevada e mesmo muito elevada, nomeadamente no parque industrial de Macedo de Cavaleiros e no sector de Travanca.

Assim sendo, o risco de acidentes com gás no concelho de Macedo de Cavaleiros é maioritariamente reduzido, sendo moderado na cidade de Macedo de Cavaleiros e restantes aglomerados populacionais. É elevado num pequeno sector da cidade, junto ao campo de futebol.

CONCELHO DE BRAGANÇA


No concelho de Bragança a perigosidade de acidentes com gás centra-se quase exclusivamente na cidade de Bragança, onde é moderada e mesmo elevada, principalmente devido à existência da rede de gás urbana e à distância à mesma. Na restante área do concelho a perigosidade é nula, excepto nas áreas de edificado, onde é reduzida.

Quanto à vulnerabilidade, esta pode ser reduzida, moderada, elevada e muito elevada. Nesta análise, tem particular importância a variável “Proximidade aos Meios de Combate”, que define o aumento da vulnerabilidade à medida que nos afastamos da cidade de Bragança. Assim, a vulnerabilidade é elevada nalguns sectores da parte norte do concelho (serra de Montesinho, serra das Barreiras Brancas) e também na parte sul (sector de Grijó de Parada e Paradinha). Por outro lado, a proximidade às áreas industriais e o facto de ser um centro urbano importante, em Bragança a vulnerabilidade também se apresenta elevada e mesmo muito elevada, nomeadamente no sector do Alto das Cantarias. O mesmo acontece em Santa Comba de Rossas, devido às indústrias aí existentes.

Assim sendo, o risco de acidentes com gás no concelho de Bragança é maioritariamente reduzido, sendo moderado na cidade de Bragança e restantes aglomerados populacionais. É elevado na parte sul da cidade (região da Zona Industrial das Cantarias).

FONTES DE INFORMAÇÃO


Carta de ocupação do solo de 1990 modificada, Instituto Geográfico Português, 1990;

Cartas militares em formato vectorial, escala 1/25.000, Instituto Geográfico do Exército, 1995;

Cartografia no formato vectorial, escalas 1/5.000 e 1/10.000, Câmaras Municipais de Bragança, Mirandela e Macedo de Cavaleiros.